04 nov

Como o paladar contribui para o ganho de peso

open-uri20130103-21565-f9z5r0[1]

Estamos comendo muito, cada vez mais, e com muita dificuldade em parar. Começamos a comer e só paramos ao ver o fim, em pouco tempo percebemos que devoramos tudo. Ansiedade, estresse, compulsão, o que esta acontecendo? Doenças da ansiedade e até mesmo transtornos alimentares podem justificar esse comportamento, mas, na maior parte das vezes, é apenas o paladar a nos passar uma rasteira.

Vários mecanismos fisiológicos estão associados ao controle do consumo alimentar. Reguladores hormonais estão envolvidos na sinalização de fome e saciedade e tende a manter o balanço energético neutro, estimulando ou inibindo o apetite de acordo com a necessidade do corpo humano. Sobressai-se ao controle hormonal, o mecanismo de recompensa. Esse mecanismo nos conduz ao alimento guiado pelo prazer, memória e aprendizado, e conta com a ajuda fundamental dos nossos sentidos.

Visão, audição, aroma junto com o paladar nos conduzem na busca pelo alimento. Nossa língua apresenta receptores específicos identificados para cinco sabores: doce, amargo, salgado, azedo e umami. A predileção ao doce é inata, nascemos já gostando desse sabor. Somos capazes de perceber a proteína a partir de receptores umami, há uma sensação prazerosa e suave em resposta ao consumo de fontes de aminoácidos, que são derivados proteicos, em especial ao sabor do glutamato. Aprendemos a gostar do salgado e quanto maior a quantidade de sal, maior o consumo. Nos afastamos do azedo e amargo por estarem relacionados a alimentos de potencial risco à saúde, como veneno e alimentos estragados.

Quanto à gordura, ainda não foi identificado um receptor especifico para seu gosto, mas a composição em gordura dos alimentos parece afetar o consumo através de seu aspecto, textura e possivelmente o seu aroma. A combinação dessa textura agradável da gordura com açúcar ou sal nos deu alimentos irresistíveis e certamente fazem parte do nosso consumo cotidiano unicamente pelo prazer e não por necessidade nutricional.

Fontehttp://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/18056-como-o-paladar-contribui-para-o-ganho-de-peso